As memórias dos gostos que contam nossa história

Existe um sabor ou cheiro de alguma comida que o faz relembrar de lugares, momentos ou pessoas da sua vida? Provavelmente a resposta seja sim!

A comida imprime marcas na memória, na identidade das pessoas e da cultura alimentar. As memórias do gosto são especialmente desenvolvidas na infância, pela exposição aos alimentos, e se caracterizam pelas lembranças do sabor, odor e aparência dos alimentos, capazes de despertar emoções e sentimentos.

Contudo, muitos dos alimentos que faziam parte dessas comidas podem deixar de existir porque simplesmente deixamos de consumi-los no dia a dia. Optamos por refeições prontas e não dedicamos o tempo necessário para o preparo da comida. Isso faz com que deixemos de preservar a nossa história contada a partir das lembranças que a comida nos traz, bem como deixamos de ter uma alimentação mais variada.

Mas o que podemos fazer para mudar tudo isso? Veja algumas atitudes que podem ser adotadas:

  1. Reserve um tempo do seu dia para preparar os alimentos e para saborear a comida, evitando distrações com aparelhos eletrônicos. Perceba as refeições como um momento indispensável, em que você pode estar totalmente presente.
  2.  Reserve um momento do seu tempo para preparar as “receitas de família” e compartilhá-las com seus filhos, netos e demais pessoas da sua família. Se possível, envolva as crianças nessas preparações, peça que elas ajudem a picar os alimentos (com segurança, é claro) e a colocar a mesa, por exemplo.
  3.  Registre em um livro as receitas que você costuma preparar para sua família. Os livros de receitas guardam muitas histórias que podem ser passadas para as gerações futuras.
  4.  Valorize os alimentos regionais e da época. Cada lugar possui alimentos que são a identidade cultural daquela região e que são cultivados em determinados períodos do ano. Por exemplo, pinhão não tem durante todo o ano e é isso que o torna um alimento único e que fica gravado em nossa memória.

Mirela Christmann – Nutricionista CRN10 6619

Referências:
HOLANDA, A. Comidas guardadas na memória. Disponível em: https://vidasimples.co/conviver/comidas-guardadas-na-memoria/. Acesso em: 06 jun. 2021.
ISHIZAKA, M. L. A influência da memória gustativa na formação do cozinheiro profissional. Orientadora: Silvana Graudenz Müller. Trabalho de conclusão de curso – Superior em Tecnologia em Gastronomia, IFSC, Florianópolis, 2019. Disponível em: https://repositorio.ifsc.edu.br/bitstream/handle/123456789/1263/Marcio%20Lucena%20Ishizaka%20TCC%202019.pdf?isAllowed=y&sequence=1