No primeiro trimestre de 2021 despesa com saúde foi de R$ 24 milhões

No primeiro trimestre de 2021 as despesas com saúde na SIM chegaram a 24 milhões. Um volume que aponta para um aumento em relação aos anos anteriores, especialmente considerando o aumento de despesas decorrente da pandemia (veja matéria aqui).

Em 2019 as despesas com saúde somaram R$ 93 milhões e em 2020 saltaram para R$ 97 milhões.

Uma análise por categoria revela onde estão concentrados os maiores pesos na despesa: em 2020 as consultas representaram pagamentos de R$ 9,6 milhões, exames complementares absorveram R$ 17, 8 milhões e as internações um total de R$ 40,3 milhões.

Na perspectiva de um plano coletivo e solidário como a SIM os cuidados que cada um pode ter resulta numa economia para todos, que se transforma em equilíbrio para o plano.

Sem nenhum prejuízo na qualidade do tratamento e da atenção à saúde, cada um pode tomar pequenos cuidados que repercutem nas finanças. Estes cuidados dizem respeito à atenção em detalhes na marcação de consultas e exames.

Com relação a consultas é sempre oportuno começar a solução para algum sintoma por um médico clínico geral, aquele que olha para o indivíduo como um todo. Se for um profissional que conhece seu histórico clínico, melhor ainda. Ele vai saber quando é necessário buscar um especialista. Além de ser um procedimento mais amplo, ele pode reduzir as suas próprias despesas com coparticipação.

No mesmo caminho é preciso conversar com os médicos sobre a validade de cada um, levá-los sempre às consultas e, assim, evitar as repetições desnecessárias e redundantes, que causam estresse e mais despesas na coparticipação.

Não se trata de deixar de usar os benefícios do plano de saúde, mas de usá-los com a razão, para que esteja sempre equilibrado e pronto para atender as necessidades de todos e de cada um.

VEJA VÍDEO SOBRE O TEMA