Vamos conversar sobre o glúten?

A data de 16 de maio é marcada pelo Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Celíaca. No Brasil, apesar do subdiagnóstico, essa condição autoimune afeta em torno de 2 milhões de pessoas. A doença celíaca tem como parte do tratamento a exclusão de alimentos que contenham glúten. Recentemente, muitas pessoas que não possuem a doença celíaca também têm adotado a exclusão do glúten da alimentação. Mas isso realmente torna a alimentação mais saudável?

O que é e em quais alimentos encontramos o glúten? O glúten é uma substância fibrosa e elástica, formado por proteínas. Quando misturado à água e submetido à mistura mecânica, é responsável por promover a elasticidade, a aderência e a retenção de gases da fermentação. Esse processo pode ser visto quando se faz pão ou massa com farinha de trigo, a qual tem a maior concentração de glúten entre todas as fontes alimentares. O glúten também é encontrado no centeio, na cevada e em seus subprodutos. A aveia, embora inicialmente não apresente o glúten em sua constituição, é normalmente cultivada no mesmo terreno que os grãos citados acima e, por isso, frequentemente, pode apresentar traços de glúten.

Excluir alimentos com glúten torna a alimentação mais saudável? A alimentação sem glúten é recomendada para pessoas que apresentam doença celíaca, sensibilidade ao glúten não celíaca ou alergia ao trigo. No caso da doença celíaca, o consumo do glúten provoca inflamação no intestino, além de outros efeitos colaterais, podendo impedir a absorção de nutrientes. Contudo, recentemente tem-se sugerido que o glúten cause uma possível inflamação intestinal em pessoas que não apresentam a doença celíaca. Entretanto, ainda não há pesquisas conclusivas que sustentem a recomendação de exclusão do glúten da alimentação de indivíduos saudáveis. De modo geral, a alimentação do brasileiro é rica em fontes alimentares que contenham glúten. Ocorre que muitas vezes há o consumo excessivo desses alimentos e, por consequência, do glúten, o que pode gerar desconfortos. Ressalta-se ainda que aqueles alimentos que apresentam na embalagem a descrição “sem glúten” podem ter piores teores de nutrientes quando comparados com aqueles “com glúten”. 

Excluir o glúten da alimentação favorece a redução de peso corporal? Outra questão é que embora estudos iniciais sobre o glúten sugiram que a sua retirada da alimentação possa favorecer a redução do peso e do acúmulo de gordura corporal, esses achados podem estar relacionados à redução do consumo total de calorias e carboidratos da alimentação, que, por si só, contribuem para a redução de peso. 

Lembre-se: o equilíbrio é uma premissa muito importante para ter uma alimentação saudável.

 

Mirela Christmann – Nutricionista CRN10 6619

 

Referências:

BRASIL. Ministério da Saúde. Desmistificando dúvidas sobre alimentação e nutrição: material de apoio para profissionais de saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2016. 164 p. 

DERAM, S. Glúten faz mal? Nutricionista responde: só em 3 condições. Disponível em: https://sophiederam.com/br/o-que-comer/gluten-faz-mal/. Acesso em: 13 abr. 2021.

UFRGS. O que é glúten? Disponível em: https://www.ufrgs.br/alimentus1/pao/ingredientes/ing_farinha_gluten.htm. Acesso em: 13 abr. 2021.

UNIFESP. Estudo sugere subdiagnóstico da doença celíaca. Disponível em: https://www.unifesp.br/reitoria/dci/publicacoes/entreteses/item/1985-estudo-sugere-subdiagnostico-da-doenca-celiaca. Acesso em: 20 abr. 2021.