sábado, agosto 13, 2022
InícioDicas de saúdeParece mato, mas é PANC!

Parece mato, mas é PANC!

As PANCs (plantas alimentícias não convencionais) são facilmente encontradas em jardins, hortas, quintais e até mesmo em calçadas, por isso são denominadas como ervas daninhas (mato) devido ao fácil cultivo e ao seu desenvolvimento espontâneo.

Apesar de ainda serem pouco utilizadas na alimentação por falta de conhecimento ou costume, as PANCs vêm ganhando destaque na gastronomia e nas refeições do dia a dia, pois além embelezar o prato e atribuir novos sabores, são muito nutritivas, ricas em vitaminas, minerais e em compostos bioativos.

Mas todo mato é PANC? Não, muitas plantas não são comestíveis. Algumas são medicinais, mas não são adequadas para a alimentação humana. É importante saber identificar corretamente, conhecer as partes comestíveis e a forma de preparo indicada, já que algumas devem ser consumidas cozidas a fim de eliminar substâncias antinutricionais.

O consumo das PANC é seguro? Sim, seu consumo é amparado por pesquisas científicas, que indica não só a segurança para o consumo, como também as propriedades nutricionais.

Como identificar? As características botânicas são importantes para a identificação de cada planta, para não confundir com outras parecidas.  Um exemplo é a taioba, cuja folha parece com a folha do inhame que não é comestível.

O gosto é ruim? As PANC são amargas? Algumas plantas, como a serralha, o dente-de-leão e o radite, são amargas, parentes da escarola, da catalonha e do almeirão. Mas a grande maioria das hortaliças não é, pelo contrário, são saborosas e versáteis na cozinha.

Conheça algumas PANCs: A ora-pro-nóbis: de fácil cultivo e alto valor nutricional. É rica em vitaminas do complexo B, A e C, fibras e fósforo. As folhas são sua parte comestível, podendo ser consumidas secas ou frescas, cruas ou cozidas e até acrescentadas a massas de pães.

 Como preparar?  Não há segredo! Inclua na alimentação diária como substituto de ingredientes da culinária tradicional.

 

UMA RECEITA COM PANC

Taioba refogada

Folhas de taioba.

Ingredientes

1 maço de taioba

1 colher (sopa) de óleo ou azeite

1 dente pequeno de alho picado

1/2 cebola pequena picada

Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de fazer: lave bem a taioba, folha por folha. Rasgue as folhas em pedacinhos, entre os veios, e lave novamente. Numa panela coloque o óleo, o alho e a cebola, aqueça até dourar, acrescente a taioba para refogar, o sal e pimenta, mexa por três minutos ou até que a taioba esteja macia. Sugestão: sirva com arroz e feijão.

A taioba é rica em vitaminas e minerais, como cálcio e fósforo. Refogada, é muito semelhante à couve, mas não pode ser consumida crua, devido ao alto teor de cristais de oxalato de cálcio.

Outros tipos de PANCs: bertalha, cara-moela, capuchinha, moringa, peixinho, serralha e vinagreira e mais centenas de espécies que podem ser encontradas no Brasil.

 

Rosemeire Romanello –  Nutricionista – CRN 10 nº 5442

 

Referências bibliográficas:

CALLEGARI, C.R.; MATOS FILHO, A.M. Plantas Alimentícias Não Convencionais – PANCs. Florianópolis: Epagri, 2017. 53p. (Epagri, Boletim Didático, 142)

MARIA FILHO, J. A importância das PANCs para promoção da saúde e educação nutricional, social, gastronômica e ambiental. Revista Brasileira de Nutrição Funcional – ano 15, nº 65, 2016, págs 48-52.

NASCIMENTO, V. Guia prático de PANC – plantas alimentícias não convencionais.  Disponível em: <https://institutokairos.net/portfolio-items/guia-pratico-de-panc-plantas-alimenticias-nao-convencionais/>. Acesso em: 08 jan. 2019.

PASCHOAL,V.;  GOUVEIA,I.; SOUZA, N.S. Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs): o potencial da biodiversidade brasileira. Revista Brasileira de Nutrição Funcional, ano 16, edição 68, págs 8-14.

 

ASSUNTOS RELACIONADOS